Espumante Brut Processo Charmat - Dal Pizzol Vinhos Finos

Conheça o Espumante Brut Processo Charmat produzido pela Dal Pizzol, vinícola que traz consigo uma tradição na vitivinicultura que remonta o Século XIX. Sua história expressa um talento natural e cheio de experiências, sabedoria e sensibilidade na produção de vinhos, espumantes e sucos de uva.

Home /
Produtos

Espumantes Dal Pizzol

Brut Processo Charmat

Brut Processo Charmat

Conteúdo: 750ml
Unidades por caixa: 6
Graduação alcoólica: 13% vol.
Acidez total: 72 Meq
Açúcar residual: 13,0 g/L
Foram elaborados 20.000 litros deste espumante.

Safra: Não safrado, mescla de duas ou mais safras conforme o corte anual.

Origem:
É denominado Método "Charmat" devido ao nome do engenheiro francês, que no início do século introduziu este método ao Plano Industrial. Esta prática caracteriza-se pela fermentação em grandes recipientes e é largamente empregada para a elaboração de espumantes de uvas aromáticas e vinhos espumantes jovens de uvas não aromáticas.

Este método é baseado no uso, durante a fermentação, de tanques de aço inox resistentes a pressão (autoclaves). Aos quais é transferido o vinho base, adicionado de açúcar e culturas de leveduras selecionadas para desenvolver a refermentação, que pode durar de alguns dias a alguns meses, dependendo do produto que pretende-se obter. Durante este período as leveduras transformam o açúcar em álcool e gás carbônico. Como não há liberação deste gás, ele permanece no produto, formando as borbulhas ou perlage. Terminada a refermentação o espumante é refrigerado, clarificado, filtrado e engarrafado isobaricamente (sem perda de pressão).

A industria vinícola tem aportado ao processo algumas inovações para adaptá-lo aos diversos tipos de espumante. A variante mais significativa vem do tempo de contato entre o vinho e as leveduras após a refermentação. Usualmente utilizam-se dois método de elaboração.

Charmat Longo: Caracteriza-se pela permanência do espumante sobre as leveduras por um período que pode ser de alguns meses até um ano, a uma temperatura de 12°C a 15°C.

Variedades:
Chardonnay - variedade francesa da região de Borgonha, França, cujas uvas são utilizadas na elaboração dos seus famosos vinhos, e, juntamente com a Pinot Noir, faz parte do vinho base para a elaboração dos nobres vinhos espumantes de Champagne. Variedade que proporciona grande riqueza de aromas que ganham complexidade com o envelhecimento, gosto persistente, harmonioso, com retrogosto bastante longo. 

Pinot Noir - O berço do Pinot Noir é a Borgonha, na França, onde é utilizada na elaboração de vinhos tintos que gozam de alto conceito internacional. Ainda na frança, ocupa lugar de destaque também na elaboração de Champagne, originando, juntamente com o Chardonnay, os famosos espumantes da região. É uma variedade tinta vinificada em branco, ou seja, sem contato da película com o mosto, para a elaboração do espumante. Este vinho base é o que dá estrutura ao espumante.

Riesling Itálico - Sua origem não está bem determinada, mas na Itália, principalmente em Veneza, Pávia, Udine, Treviso e Bolzano, sua importância é capital na elaboração de vinho fino de mesa. Muito difundido na viticultura gaúcha, onde atinge alta produtividade, faz parte da história dos vinhos brasileiros, por ter sido a primeira casta nobre utilizada no preparo de varietais brancos. Esta variedade origina vinhos de caráter jovem, frutado, fresco, paladar aveludado, sendo geralmente seco ou meio seco.

Elaboração:
O Espumante Brut "Dal Pizzol" é obtido pelo Método Charmat Longo. Elaborado a partir de um vinho base de Pinot Noir, Riesling Itálico e Chardonnay mais evoluídos, agregado de açúcar e leveduras, dando início ao processo de refermentação, o qual é realizado em autoclaves a uma temperatura entre 13 a 15°C. Após a segunda fermentação, este espumante, permanece por um período de 90 dias em contato com as leveduras, com o objetivo de atribuir características distintas ao mesmo. 

Características do espumante:
Na análise visual, apresenta-se límpido e brilhante, de coloração amarelo com reflexos esverdeados. Quanto ao perlage ou efervescência, demonstra um excelente desprendimento de gás carbônico, formando borbulhas pequenas, espuma abundante e duradoura. No aroma, caracteriza-se por uma complexidade de frutas provenientes do vinho base; notas cítricas e a leveduras, pão tostado e adocicado. Quanto ao paladar, inicialmente apresenta uma refrescância provocada pelo gás carbônico e a acidez do produto, seguindo para um final de boca macio e suave bastante equilibrado, lembrando características que se assemelham ao Champenoise devido a sua particularidade de elaboração.

Recomendações gastronômicas:
Além de brindes festivos este espumante é ótimo para acompanhar aperitivos leves e com frutas, combinar com entradas, pratos principais e sobremesas, adequando-se a proposta dos pratos a serem servidos. Perfeito para harmonizar com massas, pratos orientais em geral, pescados e frutos do mar. 

Temperatura de serviço:
Aconselha-se beber o espumante entre 3°C a 7°C.